Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Sex | 16.02.18

Como fazer um bebé comer a sopa

Purpurina
 A Maria tem 19 meses e há uns meses para cá que tem uma maluqueira por pão e queijo proporcional à aversão que parece ter à sopa.Ainda não lhe colocamos o prato de sopa à frente e a miúda já começa a cuspir. Confesso que temos tentado de tudo para ela comer a sopa: desenhos animados, brincadeiras, comer a sopa com uma parte de puré de fruta ao mesmo tempo...Entretanto, já que ela gosta tanto de queijo, lembrei-me de lhe colocar um pouco de queijo ralado na sopa. Nem é (...)
Qui | 15.02.18

Fizemos um pão delicioso

Purpurina
Uma das coisas que há algum tempo queria experimentar fazer com a Lara era pão. A ideia seria fazer pãezinhos com formatos engraçados.Tenho excelentes memórias de, na minha infância, a senhora que tomava conta de mim e da sua neta da minha idade, fazer pão caseiro e nos deixar moldar uns pãezinhos que comeríamos depois. Eu adorava esses momentos e guardo os melhores sentimentos em relação a eles.De modo que encontrei uma receita num canal de Youtube que sigo, adaptei-a um (...)
Ter | 13.02.18

5 atividades para fazer em casa no dia de Carnaval

Purpurina
Se forem como eu apreciam tanto o Carnaval como arrancar dois dentes de uma vez. Ou seja, pouco. Ou nada.Nesta casa sentimos muita gratidão pelo feriado mas dispensamos grandemente as folias carnavalescas e nem colocamos um pé fora de casa no dia de Carnaval.Em vez disso, mascarados ou não, colocamos umas marchinhas de Carnaval porque eu e as miúdas gostamos (o Milton odeia mas aguenta-se bem) e aproveitamos para fazer atividades juntos. Este ano o plano mantém-se inalterado.Ora (...)
Dom | 04.02.18

Atividades com várias crianças #1

Purpurina
Um dos meus principais desafios como mãe de duas crianças pequenas é manter as duas entretidas aos fins de semana e nas férias. A Lara tem quase 4 anos e a Maria tem 19 meses e nem sempre é fácil encontrar formas de elas se divertirem as duas juntas.Claro que elas brincam juntas, espontaneamente, muitas vezes. Geralmente as brincadeiras envolvem muitas corridas (mais da parte da Lara), gritaria, pulos e caretas. A Maria ri-se imenso com a Lara e elas divertem-se mesmo muito.Mas aos (...)
Qui | 01.02.18

Fui apanhada pelos contos de fadas

Purpurina
  Logo eu que me “gabava” de nunca ter assistido a um filme da Disney em criança (agora até acho um bocado triste) e que não gostava especialmente da “moral” dos contos de fadas, fui “agarrada” pela Cinderela.Não sei bem quando e como é que aconteceu mas a Lara passou a andar sempre agarrada ao livro da Cinderela que uma amiga minha lhe ofereceu no aniversário e a pedir para ver o filme da Disney montes de vezes (já o deve ter visto mais de 10 vezes).Entretanto foi (...)
Qua | 31.01.18

Eu, maníaca da alimentação saudável, às vezes compro comida processada para as minhas filhas

Purpurina
 Tento fazer sempre comida saudável e saborosa para as minhas filhas.Foram amamentadas durante os primeiros meses e quando começaram a introdução de novos alimentos optei preferencialmente por comida fresca e feita por mim como papas, sopas, segundo prato e até bolos e bolachas sem açúcar.Hoje em dia comem na escola (em geral, estou satisfeita com a ementa) e o lanche é feito por mim. Quando saímos costumo levar sempre comida para elas.Mas às vezes não há tempo ou paciência (...)
Seg | 29.01.18

Não consigo mesmo resistir a isto

Purpurina
Alguém me diga que não sou só eu...Não resisti e fiz o cartão de leitora da biblioteca para a Maria, aos 18 meses.Agora posso trazer ainda mais livros para casa. E, mesmo assim, encontro-me sempre rodeada de dezenas de livros sem conseguir decidir quais é que ficam atrás. Por mim levava todos.Neste momento já nem me atrevo a ir à sala de adultos. Geralmente trago um livro para mim, outro para o Milton e uns 13 livros para as miúdas.E lemos os livros todos. Várias vezes. Mesmo.So (...)
Dom | 28.01.18

Como acabei com os dramas à mesa

Purpurina
 A minha filha mais nova, de 18 meses, sempre comeu bem até há uns meses.De repente começou a barafustar sempre que chegava a altura de comer a sopa. Segundo prato também não comia.Na escola comia muito bem mas em casa não era assim. Iogurte, bolachas e papas comia cheia de vontade mas outras coisas não.Há pouco mais de uma semana teve uma gastroenterite. Vomitou 2 dias (uma noite inteira, nunca tinha visto nada assim) e teve diarreia durante 3 dias. Comeu pouco nesses dias e nos (...)
Sex | 19.01.18

Elas são completamente diferentes

Purpurina
  As minhas filhas são praticamente o oposto uma da outra. Física e psicologicamente.E nós achamos muita graça a isso. A Lara é toda sensibilidade, abraços e beijinhos, muitos risos e muita brincadeira. É preciso ter muito cuidado com a forma como lidamos com ela porque fica aborrecida com a mais pequena coisa (isso para mim, que tenho a sensibilidade de um hipopótamo, é um grande desafio). Por outro lado acorda e adormece com beijinhos e abraços, pede-nos para lhe fazermos (...)
Sab | 06.01.18

Lara #20

Purpurina
Estavamos todos na sala e, depois de ler uma história à Lara, pedi-lhe que arrumasse o livro para ir dormir.Ela diz que está muito cansada das mãos. Insisto que deve arrumar o livro, que isso é a sua tarefa de todos os dias.Entretanto a minha mãe liga-me e a Lara pede para falar com a avó.Dou o telefone à Lara e ela começa num discurso enérgico (e um pouco inesperado):"Estou zangada com a mãe. Estou muito cansada porque cansei-me muito na escola e a mãe quer que eu arrume o (...)
Sex | 05.01.18

Como mãe sei que estou a errar mas quero muito fazer melhor

Purpurina
 Tento fazer, todos os dias, o melhor que consigo em relação às minhas filhas.Estou presente, brinco com elas, dou-lhes atenção, mostro caminhos e coloco-as à frente de qualquer outra coisa na minha vida. Nada é mais importante que as minhas filhas.Sei que tenho que lhes dar muito amor, tempo, atenção, educação e cuidados. Também sei que é nos primeiros anos de vida que desenvolvem competências e traços de personalidade que serão muito importantes toda a sua vida.É aqui (...)
Qua | 03.01.18

Lara, a despertadora

Purpurina
7h00 da manhã.Ainda é de noite lá fora.Sim, já devíamos estar a acordar mas está-se muito bem na cama com o frio que faz.E também temos sono, muito sono.Começo a ouvir passos rápidos e leves à volta da cama. Fecho mais os olhos e finjo que estou a dormir.Ela vai para o lado da cama do pai."Acorda! É hora de acordar! Já é de dia."O pai: "Ainda não é de dia."A miúda: "É quase. Vamos acordar. É hora de acordar."É o nosso despertador. E, pelos vistos, gosta muito da tarefa.
Sex | 29.12.17

Carla, a cuspir para o ar desde que aprendeu a falar

Purpurina
Um dos meus piores defeitos é ser tagarela. Sou capaz de falar sem parar durante horas. Sobre tudo e sobre nada. Associada a essa característica tenho outra nada abonatória: o julgamento rápido e fácil. Felizmente tenho trabalhado bastante neste meu traço de personalidade e cada vez julgo menos. A vida tem-me ensinado isso a uma velocidade vertiginosa. Posso não compreender algumas atitudes de algumas pessoas mas, não sendo claramente agressivas ou criminosas, abstenho-me de julgar.Todav (...)
Ter | 26.12.17

Coisas que quero ensinar às minhas filhas e uma receita de bolachinhas deliciosas

Purpurina
Sempre tive uma ideia muito romântica sobre esta coisa de educar um ser humano. Achava fantástica esta oportunidade de incutir valores e formas de estar a uma pessoa em formação. Nunca tive ideias românticas sobre a gravidez, a amamentação, os abraços dos filhos, as vezes em que nos dizem espontaneamente que gostam de nós. Claro que passei a amar estas coisas (como não o fazer?) mas antes de as conhecer não pensava nelas. Mas na educação sim.Se calhar (muito provavelmente) (...)
Qua | 20.12.17

Fiz um livro sensorial

Purpurina
 De vez em quando dá-me a pancada de fazer umas coisas de costura: roupas para bonecas são o mais frequente mas, a determinada altura, achei que seria divertido fazer um livro sensorial para as miúdas. Comecei o projeto cheia de genica e a primeira coisa foi construir o livro com velcro. A problemática surgiu quando me apercebi que me tinha entusiasmado demais com o número de páginas: imensas… Lá fui fazendo as atividades mas depressa me apercebi que aquilo dava algum trabalho e (...)
Qua | 13.12.17

Ser mãe não é fácil

Purpurina
É maravilhoso, recompensador, o melhor desafio de todos mas não é fácil. Ser mãe tem sido a maior aventura da minha vida. Ser mãe testa todos os dias os meus limites físicos e psicológicos. Ser mãe é estar preparada para, sem darmos por isso e por vontade própria, ficarmos sempre em segundo lugar, ou terceiro, ou quarto. É ver no simples ato de beber um café ou almoçar com o namorado sozinha, o maior luxo do mundo. É estar preparada para me arrastar cheia de sono pela (...)
Sex | 08.12.17

Ela chama-me "Carla"

Purpurina
  Ainda no outro dia nasceu. Gordinha e muito séria. Linda!Durante muitos meses era muito agarrada a mim, só queria o meu colo e era eu que lhe dava maior conforto.Por volta dos 16 meses apanhou a fase "Pai" que ainda está agudíssima. Vai para a porta chamar pelo pai, pergunta várias vezes pelo pai durante o dia e, quando vamos os dois buscá-la à creche, se me vê primeiro pergunta logo pelo pai.A noite passada não dormimos nada: eu, o Milton e a Maria. Ela está com bronquiolite (...)
Ter | 05.12.17

Conversas da Lara #10

Purpurina
Criei para a Lara um jogo de que eu gostava muito quando era pequena.Hei-de falar disso mais à frente mas o facto é que ela adorou.O problema é que o jogo envolve muitas notas (de brincar claro) e a Lara, já passada a hora de dormir, decidiu espalhá-las metodicamente pelo tapete da sala e arruma-las uma a uma na carteira.Aquilo era coisa para levar umas dezenas de minutos e eu ofereci-me para a ajudar, pelo que peguei num maço de notas e dispus-me a arrumá-las rapidamente.A Lara (...)
Seg | 04.12.17

3 produtos indispensáveis para os bebés

Purpurina
Quando a Lara nasceu eu não percebia nada de bebés. No hospital, sozinha, esperava que alguém me dissesse quando e como ela devia comer, quando devia mudar a fralda e tudo o mais... sempre.A primeira vez que lhe mudei uma fralda sozinha tremia por todo o lado, parecia que tinha sido ligada a uma máquina de choques pela maneira como tremia incontrolavelmente.Ela chorava muito, chorava o dia todo. E eu sempre nervosa e a passar-lhe o meu nervosismo.Depois fomos para casa e eu, o Milton (...)
Dom | 03.12.17

Quando cuido das minhas filhas cuido da minha criança interior

Purpurina
Muitas vezes olho para as minhas filhas, principalmente para a Lara que é claramente mais parecida comigo, e vejo a criança que fui. Ou melhor, vejo uma versão muito melhor da criança que fui. Olho para as minhas duas meninas e vejo-me menina, assumo os meus pensamentos, os meus medos e as minhas alegrias de infância. Quando beijo as minhas filhas de noite e lhes digo que são a minha maior felicidade e alegria, estou a fazer exatamente aquilo que me faria sentido como criança.